terça-feira, 9 de novembro de 2010

O Evangelho Segundo os Simpsons

Oi gente...

Tô super sumida, eu sei, mas motivos de força maior me impedem de estar muito presente, mas aqui estou eu, não abandonei o blog não, e nunca vou abandonar hum! =D
Aproveitei que fiz uma resenha do livro "O Evangelho Segundo os Simpsons" decidi postar aqui tbm... ha, e a propósito passarei a postar algumas resenhas de livros que tenho lido, acho que vai ser bem interessante... vou entrar nessa onda de resenhas tbm rs... (não que este se tornará um blog literário, mas terá seu momento literário entende)
Bom chega de papo, e vamos ao que interessa:



O EVANGELHO SEGUNDO OS SIMPSONS



O livro fala de como a Família Simpsons exerce sua religiosidade.
Os Simpsons são uma família tipicamente protestante que, em certos momentos, demonstram sua fé através da oração, obediência, bondade e fidelidade.
O livro traz os episódios em que há essas demonstrações de fé - dos mais variados personagens da série.
Não só demonstrações de fé, mas traz cenas em que há a presença de fatores que envolvem a fé, como céu, anjos e inferno.
Na minha opinião, o livro não traz nada de relevante, apenas mostra como a família conduz sua religiosidade em sua cultura, o que segundo o autor, é a realidade de muitos americanos. Ou seja, vão à igreja todos os domingos, oram, acreditam em Deus, mas não se envolvem muito com o evangelho propriamente dito.
Depois de ler, penso que o nome do livro deveria ser "a religiosidade segundo os Simpsons" ou "como os Simpsons manifestam sua fé". Isso por que de evangelho, quase nada aparece, aliás, muito raramente o nome de Jesus é mencionado.
Quando o autor, Mark Pinsky, narra os episódios (que por sinal não são reprisados somente na tv, mas no livro em diversos capítulos também) nos dá aquela sensação: "o livro é melhor que o filme" só que o contrário, "o desenho é melhor que o livro". Há episódios inteiros narrados, e isso com falta de detalhes, o que torna a leitura frustrante.
Outra falha que encontrei no livro foi que quando ele se referia a ritos e costumes do judaísmo ele não se preocupou em explicar aquela cerimônia, o que para um leigo não faria sentido algum. parece que ele escreveu para quem já tem o conhecimento dessa cultura. (O que me salvou foram as aulas de hebraico - Valeu Grijó)
Por fim, algo que me chamou bastante a atenção foram erros como os de concordância, acentuação e de algumas palavras faltando letras... tem até a expressão tão criticada na aula de português, o famoso "muita das vezes" (e olha que pra eu notar esses erros é que a coisa tá feia mesmo... eu sempre mato o pobre do português =S).
Só não abandonei a leitura, pq não sou fã disso, gosto de ir até o final... mas com certeza, esse livro eu não indico...
se quiser saber sobre a religiosidade da família Simpson, assista ao seriado, vai ser mais divertido, pode ter certeza...

Beijos de Coração
Pris

4 comentários:

Yullia Marizia disse...

Puxa, lembro da primeira vez q ouvi falar desse livro, fiquei morta de vontade de ler, MAs agora depois dessa resenha até passou a vontade.
Mas já era de se esperar né? Tanta gente q escreve sobre esses assuntos sem um pingo de entendimento profundo do cristianismo, dá nisso!

Beeeijos

Alexandre Gama disse...

Olá!!!!!!

Bom te ver de volta. Quando eu ouvi falar desse livro de cara me deu aquela imprensão de uma mera jogada de marketing pra vender livros pros crentes, mas as vezes eu acho que sou implicante meso... rs Boa sua resenha, muito objetiva e clara. Parabéns!

Paz

Felipe Fagundes disse...

Oba! Adoro resenhas de livros, de vez em quando eu também me aventuro em umas dessas, são os posts que mais gosto de escrever, embora eu me enrole a beça para expor minha opinião.
Já tinha ouvido falar desse livro e sempre achei que não fosse grandes coisas, isso porque o desenho é uma paródia de um monte de coisas e sempre dá umas risadinhas de tudo. O que esse livro teria para ensinar? Nada.
Você tem razão, deveria se chamar "a religiosidade segundo os Simpsons", por aquela família ali não vive o evangelho nem de longe rs

Cíntia Mara disse...

Oiê!

Eu já li esse livro e concordo com você. O título desperta a atenção, mas o livro não tem muita coisa a dizer.

Beijos